domingo, 10 de maio de 2015

LUPA

daqui da onde estou
a borda é só um detalhe,
uma coisa dessas que passa
pela vista de manhã
mas a gente logo esquece,
prefere o cheiro do café
ou da coisa nova e boa
que é a rotina.

me penduro na viga mais alta
e posso ver que é verdade,
a noite está viva,
ainda mais no detalhe da borda,
aonde vejo o redentor,
uns aviões e transatlânticos,
as miniaturas todas.

a gente vive uma vida pequenina
pense nas formigas
e se lembre que proporcionalmente
Jorge não nos vê da lua,
tudo é uma questão de perspectiva,
de abrir bem seus pequeninos olhinhos
e esquecer-se de se distrair
e de uma vez por todas
saber que pode ser invisível.

Nenhum comentário:

Postar um comentário