quinta-feira, 11 de setembro de 2014

QUE BOM

Que bom que você
está aqui
Mesmo com essas linhas
retas, talvez seja de algumas linhas
retas tudo que preciso.

Preciso desse abraço
branco, que se desfaz
em tinta, 
como se todas as letras
lhe coubessem
um dia.

Um anteparo qualquer e
você está pronto, 
abraço que posso chamar 
de abraço
no fim do dia.

Gostaria de poder fazer
o mesmo, 
acho a gratidão tão irreal 
e bonita,
ainda mais em dias
sem chuva,

muito diferentes do anteparo de agora,
o suporte
(se você não se
livra eu te
livro
do corte).

É raro o que acontece.

É todo dia, mas
não dessa forma
endereçada,
com peito em 
salto e  
queda só de lembrar
sua temporária
maciez infantil
que me deixa talhar
difíces esculturas.


Nenhum comentário:

Postar um comentário