segunda-feira, 15 de setembro de 2014

engoli a teia
e caminhei
com as aranhas no bolso
sem fazer alarde

te ligo pra contar meu
pesadelo
sobre os defeitos do corpo
e do mundo

choveu demais aqui

tem uns timbres da minha voz que sópravocê
posso cantar
sopramvocê
sabiá, sabe lá

o que mais da história segue
a gente logo logo
verifica em livros.

Um comentário: